ENVIO GRÁTIS EM COMPRAS superiores a 50€
ENVIO GRÁTIS EM COMPRAS superiores a 50€

Como detalhar um camião

NESTE GUIA GRATUITO:

  • Saiba como detalhar um veículo pesado e as situações realmente grandes!
  • Descubra como adaptar os seus processos e técnicas para atender a todos os tamanhos dos veículos.
  • Veja os produtos essenciais a utilizar ao longo do processo e como os utilizar para obter a máxima eficácia.

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS?

  • Aprender os processos de nível profissional utilizados para veículos de grandes dimensões significa que pode detalhar qualquer coisa.
  • Adaptar com segurança as suas técnicas de lavagem e de melhoramento da pintura a tarefas específicas ajuda-o a dominar a arte do detalhe.
  • Saber quais os produtos a utilizar e em que ordem, dá-lhe a melhor base para os fundamentos do detalhe.

Sim, é grande, mas não é muito diferente de fazer o detalhe de um carro… só que com algumas diferenças importantes.

Devido à natureza de estar constantemente na estrada a fazer quilómetros, é preciso dizer que não é muito frequente usarmos as máquinas de polir num destes veículos. Mas achamos que a grande questão aqui é: porque é que se deve detalhar um veículo pesado de mercadorias?
 
Bem, como sempre, a resposta é simples, mesmo que o processo seja um pouco mais complexo do que o habitual. Os veículos pesados de mercadorias precisam de tanto amor, atenção e protecção como os automóveis, são tão susceptíveis à contaminação diária e ao aparecimento de corrosão como qualquer outro veículo na estrada, provavelmente ainda mais devido à vida de trabalho árduo e aos quilómetros extremos que estes monstros têm de suportar.
 
É claro que há outra razão prática pela qual eles precisam de ter um aspecto impecável. Podem fazer quilómetros em todas as condições atmosféricas, mas, tal como um carro da empresa ou uma carrinha de manutenção, um camião é o rosto da empresa na estrada – quanto melhor for o seu aspecto, melhor será a reputação do proprietário. De facto, devido aos grandes quilómetros percorridos, os camiões tendem a ser limpos regularmente para manter a imagem da empresa. Em alguns casos, são lavados numa paragem de camiões várias vezes por semana.
 
Mas, e aqui está a parte importante, a lavagem habitual de camiões pode não ser necessariamente efectuada da forma mais segura, por isso, embora possa ver muitos camiões limpos à distância, olhe um pouco mais de perto e descobrirá que a maioria precisa urgentemente de ser melhorada, para não falar da protecção adequada que torna a limpeza segura muito mais fácil da próxima vez.

O que torna o detalhe de veículos pesados diferente?

A série FH da Volvo, tal como o gigante sueco que temos aqui, é na verdade um dos camiões mais bem sucedidos de sempre na estrada e, embora com cerca de 18 toneladas só para a cabina, é o grande equipamento de longa distância com a cabina alta, especificamente concebido para puxar os maiores e mais pesados atrelados.
 
Mas, como é que se detalha um destes? Bem, essa é a grande questão, não é? Embora, à primeira vista, a maior parte dos produtos e processos sejam muito semelhantes aos de um automóvel, há alguns aspectos a ter em conta que são exclusivos de veículos desta dimensão. E adaptar o detalhe é o objectivo deste guia.
Agora, para além da parte óbvia – estas coisas são absolutamente enormes – há áreas nos veículos pesados que necessitam sempre de um pouco mais de consideração. A maior parte dos painéis de plástico são de grandes dimensões, como as cavas das rodas, os painéis laterais e a aerodinâmica. Isto torna-se importante quando se efectua o polimento à máquina, porque os plásticos dissipam o calor de forma ligeiramente diferente do metal. Por falar em metal, os camiões também tendem a ter muito mais peças metálicas aleatórias acessíveis no exterior. Algumas, como as calhas abertas do chassis, são pintadas ou revestidas a pó e outras – uma selecção impressionante de placas de protecção e outros painéis – são em aço ou alumínio. Como em todos os processos de polimento, é importante saber exactamente com o que se está a lidar e quais os produtos específicos a utilizar.
 
Escusado será dizer que vai encontrar muito mais recantos, degraus, grelhas grandes, painéis com aberturas complexas e áreas de chassis aparafusadas do que num automóvel, todos eles oferecendo potenciais armadilhas de sujidade que podem voltar a assombrar nas fases posteriores do detalhe. E talvez a maior diferença que encontrará seja o facto de a grande maioria dos camiões utilizar pintura de uma única fase de fábrica. Na maior parte dos casos, o revestimento transparente é uma opção especial dispendiosa que muitos transportadores simplesmente dispensam. É compreensível que também descubra que muitos são repintados quando mudam de proprietário e, quando não o são, é frequente encontrar indícios de desbotamento pelo sol em torno de decalques antigos da empresa que foram removidos. Estes podem necessitar de um polimento mais intenso para garantir que a cor é uniforme.
 
Quanto à questão mais importante, será que são necessários produtos diferentes para fazer o trabalho de forma eficaz? A resposta é não. Para além da utilização de uma ou outra diluição mais forte, como faria em qualquer veículo muito sujo, todos os produtos de lavagem, descontaminação, polimento e protecção utilizados são exactamente os mesmos que utilizaria num automóvel. Por outras palavras, os nossos produtos de tratamento de detalhes funcionam em qualquer veículo, grande ou pequeno.

E o historial de lavagem?

No que diz respeito à correcção da pintura e aos swirls, a última coisa a ter em conta é a forma como os camiões costumam ser limpos. Para além da frequência das lavagens, encontrará muito mais defeitos causados por técnicas perigosas do que aqueles que têm origem na condução diária. Embora seja verdade que os camiões são maiores do que os automóveis e as carrinhas, o que os torna mais susceptíveis a rasparem em arvores, a grande maioria dos defeitos resulta de uma lavagem regular com uma vassoura longa, de lavagens automáticas de camiões ou simplesmente de não se efectuar uma pré-lavagem eficaz e espuma de neve antes de entrar em contacto com a pintura.
 
Também é óbvio que muitos veículos pesados não são secados adequadamente após a lavagem, o que significa que as marcas de água, causadas por impurezas na água de lavagem, tendem a ser frequentes… mas todos estes problemas podem ser ultrapassados utilizando os produtos correctos e um pouco de delicadeza…

 

O maior detalhe

Agora, com muitos processos tão semelhantes àqueles a que está habituado quando trata do seu carro, um guia tradicional passo a passo seria bastante inútil. Por isso, em vez disso, vamos concentrar-nos nas principais diferenças nos processos que são exclusivos deste tipo de trabalho e explicar exactamente como e porquê são executados. Dito isto, se está à procura de um guia geral sobre como limpar o seu carro em segurança – consulte o nosso artigo aprofundado – Como lavar o carro em segurança: O Guia dos Detailers. Para mais detalhes, certifique-se de que segue as fases de descontaminação e polimento com os nossos guias – Como descontaminar a pintura em segurança e O Guia Básico para o Polimento com Máquina. No caso deste detalhe em particular, embora a maioria dos processos seja semelhante, mostraremos exactamente como podem ser diferentes.
 
No entanto, a primeira coisa a fazer é saber por onde começar. Há uma grande área em qualquer veículo pesado que não deve ser limpa e que é o engate principal do reboque. Estes necessitam de uma camada espessa de massa lubrificante na parte superior para evitar a fricção e é lógico que não a queira limpar ou, pior ainda, espalhá-la pelo resto do veículo. Utilizar um plástico para cobrir esta área pode eliminar a possibilidade de erros dispendiosos durante o trabalho ou nas fases posteriores do detalhe.
 
Com isso protegido, também vale a pena dar uma boa vista de olhos ao redor do veículo para verificar exactamente com o que está a lidar, abrindo quaisquer painéis laterais, grelhas frontais e degraus que possam precisar de um pouco mais de atenção. Lembre-se de que, no Detalhe, o planeamento é tudo.
 
Escusado será dizer que também terá de evitar fazer este trabalho num dia quente. Especialmente se estiver a trabalhar sozinho. Isto ajudará a evitar a secagem prematura – não se esqueça de que há uma grande área de superfície a cobrir aqui e não há uma cobertura suficientemente grande para o proteger do sol. Tal como acontece com qualquer veículo, em caso de dúvida, mantenha-o sempre molhado até estar pronto para usar a toalha de secagem, não faz sentido tornar o trabalho mais difícil, pois não?

Jantes e pneus

Tal como acontece em qualquer detalhe, para evitar a transferência de sujidade pesada para áreas mais limpas do veículo, começamos pelas partes mais sujas, nomeadamente as jantes e os pneus. A única diferença real em relação ao detalhe de um veículo pesado de mercadorias é que estas peças são previsivelmente gigantescas – e tendem a ser muito mais numerosas. De facto, sem equipamento especializado e muito músculo, nem sequer é possível retirá-los. Estes podem pesar até 80 kg cada um!
 
A boa notícia é que todas as regras habituais de limpeza de jantes se aplicam aqui, e o produto (ou produtos) que utilizar será sempre ditado pela construção e acabamento das jantes que está a limpar. Tal como acontece com os automóveis, os materiais e acabamentos utilizados variam de camião para camião, por isso, para um resumo completo dos melhores produtos para a limpeza de diferentes tipos de rodas, consulte o nosso artigo – O Guia Definitivo para Limpeza de Jantes.
 
No que diz respeito aos pneus gigantescos, é um pouco mais simples. Depois de um enxaguamento completo, algumas borrifadelas do nosso super-poderoso Tread Tyre Cleaner e uma boa ajuda de acção de limpeza mecânica utilizando a nossa escova rígida Rubber Scrubber Tyre Brush, é tudo o que precisa para remover até a sujidade mais entranhada da estrada e as películas de trânsito, juntamente com o pó dos travões mais resistente. De facto, é este último – o temido pó dos travões – que é talvez a consideração mais importante em todo o processo de limpeza das rodas e dos pneus de qualquer veículo pesado de mercadorias.

 

De um modo geral, o principal a reter é que rodas e pneus enormes num veículo grande e pesado significam travões igualmente enormes. Por sua vez, as enormes pastilhas de travão tendem a produzir muito pó de travão, muito mais do que em qualquer automóvel. O pó dos travões é essencialmente constituído por partículas metálicas afiadas que se incrustam nas superfícies e requerem produtos de limpeza suficientemente potentes para as levantar e encapsular, permitindo que sejam enxaguadas em segurança. Esta é a principal razão pela qual os produtos de limpeza potentes para jantes são concebidos apenas para as jantes, em vez de serem utilizados no resto do veículo.
 
No nosso caso, no entanto, há a consideração adicional de que as jantes desta Volvo Cab são de metal polido bastante elegantes, um acabamento relativamente sensível que não é de esperar encontrar num veículo de trabalho. Com isto em mente, é essencial que nos afastemos de quaisquer produtos de descontaminação pesados concebidos exclusivamente para dissolver metais quimicamente, simplesmente para reduzir os riscos associados à limpeza profunda deste tipo de acabamento.
 
A resposta aqui, como na maioria dos casos, é uma combinação do nosso Imperial Wheel Cleaner, escovado com um balde de solução Revolution Wheel Soap. Estes dois produtos dedicados à limpeza de jantes não só são seguros para utilização neste tipo de acabamento, como também são capazes de remover intensamente o pó dos travões sem ter de recorrer a produtos químicos fortes em ambos os extremos da escala de pH. Aqui também utilizámos as nossas escovas de roda Wonder Wool super macias e as escovas de detalhe sem riscos, bem como uma luva de lavagem dedicada e macia, que são perfeitas para utilização nas superfícies mais sensíveis.
O Imperial é um produto de pulverização que é fornecido pronto a usar em garrafas de 500 ml (numa diluição de 1:10) e suficientemente potente para tratar da grande maioria das tarefas de limpeza de jantes. Mas também existe a opção de utilizar o nosso Imperial Concentrate de 1 litro ou 5 litros. A vantagem aqui é que são diluídos à medida, o que significa que pode utilizar uma diluição de até 1:2 para a sujidade mais pesada e incrustada e pó de travões, ou até 1:20 para máxima economia em jantes protegidas e ligeiramente sujas.
 
No nosso caso, optámos pela forma concentrada (ainda diluída a 1:10) e utilizámos o nosso Pressure Sprayer não só para misturar a nossa solução de limpeza, mas também para eliminar todo o esforço de pulverização em torno das seis rodas ridiculamente grandes e complexas. Um processo relativamente simples de pulverizar, agitar e enxaguar.

Fase da lavagem

A fase de lavagem – desde o pré-enxaguamento até à lavagem de contacto – são a parte mais importante de qualquer detalhe. Mais especificamente, as fases de pré-lavagem e de snow foam são consideradas as mais cruciais porque é aqui que se remove a maior parte da sujidade potencialmente prejudicial antes de tocar fisicamente no veículo com a luva de lavagem. É tudo uma questão de limitação de danos. Evitar causar swirls e outros defeitos na pintura ao limpar as superfícies.
 
No entanto, ao lavar um veículo pesado de mercadorias, em vez de efectuar todo a fase da lavagem de uma só vez, dividimos em duas áreas – a cabina e o chassis. Dependendo do nível de sujidade, o processo de pré-lavagem pode ser efectuado de forma ligeiramente diferente para cada área. Este método de “dividir para conquistar” também ajuda a evitar a secagem prematura do veículo porque, sejamos realistas, há muita área de superfície a cobrir durante a lavagem.
 
A ideia, como sempre, é começar pela área mais suja (a base do chassis) para evitar que a sujidade seja transferida para as áreas mais limpas. Também é de salientar que a área da cabina é a parte mais visível de qualquer veículo pesado de mercadorias, com a maioria dos grandes painéis pintados mais susceptíveis a riscos óbvios e marcas de água, pelo que é aconselhável deixar a limpeza para o fim.
 
É igualmente importante efectuar uma pré-lavagem completa em cada uma destas áreas, antes de aplicar quaisquer produtos de limpeza. Primeiro a máquina de pressão não só remove a sujidade solta, o que significa que os produtos de limpeza podem começar a trabalhar onde são realmente necessários, na sujidade agarrada. Mas, ao mesmo tempo, limpar o mais possível as aberturas dos painéis, as calhas do chassis e outras áreas difíceis também evita que a sujidade se infiltre mais tarde e interfira com o resto dos detalhes.
 
Mas, qual é a diferença entre a fase da lavagem em cada área? Bem, num chassis de camião ligeiramente sujo como este, por vezes compensa utilizar um pouco mais de agitação para garantir que todas as peças são alcançadas. Aqui estamos a falar de áreas muito complexas que são muito parecidas com um compartimento do motor, por isso é vital garantir que o seu produto de pré-limpeza alcança todos os pequenos recantos. A utilização de um produto de pré-limpeza adequado também é crucial. Neste caso, estamos a utilizar o Citrus Power Bug and Grime Remover para levantar e encapsular a sujidade e, para facilitar a utilização numa área tão grande, mais uma vez utilizámos outro pulverizador de pressão. O Citrus Power é fornecido pronto a usar, mas também pode optar pelo nosso Dynamite Traffic Film Remover, adaptando a sua diluição ao nível específico de sujidade.

 

O mesmo se pode dizer da fase do snow foam e, neste trabalho, é aqui que entra a parte da agitação. O snow foam é provavelmente o maior elemento do detalhe essencial quando se lida com veículos de grandes dimensões, especialmente veículos pesados. O Avalanche, o nosso snow foam emblemático com infusão de citrinos, foi desenvolvido para não só continuar a trabalhar na sujidade incrustada durante o máximo de tempo possível, mantendo o veículo molhado, mas também para penetrar em todos os recantos. Combinado com a nossa Snow Foam Lance, é talvez a melhor combinação de pré-limpeza. 
 
Dito isso, assim como nas áreas mais complexas de um carro – acumuladores de sujidade, como ao longo das borrachas dos vidros, grelhas e tampas de combustível, um pouco de agitação ajuda a chegar a todas as áreas e ajuda a remover a solução “gasta” (o Avalanche já encapsulou a sujidade) e a reabastecê-la com solução fresca para trabalhar em qualquer sujidade restante. Quando se trata destas pequenas áreas num automóvel, utilizamos um Detailing Brush para agitar, a única diferença aqui é que precisamos de aumentar a escala da acção!
 
No chassis dos veículos pesados, podemos agitar o snow foam com uma luva Noodle Mitt, concebida especificamente obter um acesso extra a todas as reentrâncias, recolhendo e fixando a sujidade na base. Neste caso, também utilizamos o Lather Car Shampoo como um produto de limpeza e lubrificante extra, para adicionar uma capacidade de remoção de sujidade adicional e um bom grau de segurança na remoção de partículas. Assim, embora pareça que estamos a fazer snow foam e a lavar por contacto ao mesmo tempo, na verdade estamos efectivamente a agitar a espuma de neve nas áreas mais complexas utilizando um lubrificante antes de enxaguar a sujidade.
Quando se trata da cabina, com ou sem sujidade ligeira, esta deve ser sempre tratada exactamente como um automóvel, enxaguando a partir de cima, eliminando quaisquer aberturas nos painéis e outras acumulações de sujidade antes de aplicar qualquer produto de limpeza. Tal como num automóvel – onde pode começar com um pouco de Citrus Power agitado com uma escova de limpeza em áreas difíceis, como as ombreiras das portas, a tampa do depósito de combustível e afins – estamos a tratar primeiro destas áreas complexas… só que a trabalhar numa escala muito maior.
 
A Volvo Cab tem vários degraus frontais rebatíveis, juntamente com um painel frontal para o radiador, pelo que os abrimos primeiro e agitámos com o nosso produto de pré-limpeza e enxaguámos, antes de aplicarmos o Citrus Power no resto do exterior, começando pelas áreas mais baixas e sujas, para um tempo de acção adicional, e terminando no topo.

Depois de mais um enxaguamento, passa-se à importantíssima fase de snow foam, aplicando o Avalanche de cima para baixo. Mais uma vez, a espuma espessa e persistente foi concebida para ser deixada a actuar durante o máximo de tempo possível para ajudar a levantar e encapsular eficazmente a sujidade particulada e outras contaminações aderentes. O único erro a evitar, especialmente num camião de grandes dimensões, é deixar a solução secar. Tal como em qualquer detalhe, o Avalanche também pode ser agitado ligeiramente nas áreas mais complexas, como grelhas, à volta dos espelhos retrovisores e borrachas dos vidros. Só quando a espuma da neve estiver bem enxaguada é que pode começar a lavagem de contacto com dois baldes, utilizando o Lather Car Shampoo como agente de limpeza.

Lavagem de contacto

Utilizar dois baldes de lavagem, lavar em linhas rectas e trabalhar primeiro nas áreas mais limpas são as regras de ouro para qualquer detalhe, e nada muda aqui. A única vantagem de um veículo pesado é que as superfícies viradas para cima são limitadas devido à sua forma quadrada, pelo que podemos simplesmente trabalhar de cima para baixo. Começando pelo tejadilho e terminando nos lados inferiores e na traseira. Uma coisa que não é preciso dizer aqui é que o acesso é vital, uma vez que é necessário evitar a limpeza com uma vassoura comprida, optando em vez disso por uma luva de lavagem adequada para apanhar e bloquear a sujidade, tal como a Plush Wash Mitt que estamos a utilizar aqui. Obviamente, estamos a utilizar degraus industriais para fazer o trabalho, mas, no mínimo, vai precisar de alguns escadotes para todas as fases de limpeza, polimento e acabamento.
 
E quanto ao Lather Car Shampoo? Bem, mais uma vez, este contém tensioactivos poderosos concebidos para afastar fisicamente a sujidade das superfícies, bloqueando-a em segurança na solução, o que significa que pode enxaguar a contaminação sem receio de desgastar as superfícies sensíveis, como a pintura e os plásticos brilhantes. Com lubrificantes avançados para ajudar as partículas potencialmente nocivas a deslizarem pelas superfícies sem riscar, pode adaptar a sua diluição a qualquer tarefa de limpeza.

 

De qualquer forma, essa sujidade escondida mais comum podem incluir peças como rebordo dos faróis, guarnições, grelhas e até mesmo os faróis – e quando se trata de limpar o pó e lama seca, o Verso é sempre o primeiro produto a que chegamos. Aqui a razão de diluição dependerá sempre do nível de contaminação, mas faz sentido começar com uma diluição ligeira de 1:10, e subir para algo um pouco mais forte à medida que e quando for necessário.

Descontaminação

Quando se pretende efectuar qualquer tipo de polimento, especialmente num veículo como este, é necessária uma descontaminação completa de 3 fases para remover os contaminantes incrustados que simplesmente não podem ser removidos apenas com a lavagem. O processo é exactamente o mesmo que aquele que conhece e adora, embora valha a pena notar que os contaminantes em questão estarão normalmente um pouco mais concentrados do que no seu condutor diário médio.
 
Muito disto deve-se, naturalmente, ao design do camião. Com um camião grande e de frente plana, faz sentido que a parte dianteira seja a mais afectada, particularmente pela impregnação de estilhaços de metal provenientes do pó dos travões que flutua no ar em auto-estradas rápidas e estradas nacionais – o habitat natural do veículo pesado de mercadorias. Desta forma, não é apenas a poeira dos travões proveniente do próprio veículo que tem de ser erradicada na primeira fase da descontaminação, mas também os resíduos de praticamente todos os outros veículos na estrada. Esta é a razão pela qual a descontaminação de metais ferrosos não é apenas importante em torno das áreas das rodas e dos lados, mas também em todo o lado. Em muitos casos, as partículas são demasiado pequenas para serem vistas, mas continuam a causar danos na sua Pad de polimento, por isso é vital ser minucioso e descontaminar todas as superfícies a serem polidas.
 
Em todo o caso, os estilhaços de metal são materiais resistentes e, quando estão completamente incrustados, requerem uma remoção química ou a dissolução numa solução para os retirar das superfícies. É aqui que entra o Iron Out Contaminant Remover. Este produto é seguro para utilização em pinturas e acabamentos e reage rapidamente com a contaminação, tornando a solução vermelho-sangue para criar um soluto de Iron Out e metal ferroso que é fácil e, mais importante ainda, seguro de enxaguar.
Deve ser efectuada uma descontaminação adicional, como faria com qualquer outro veículo, utilizando primeiro o ObliTARate Tar & Glue Remover, um poderoso solvente concebido para dissolver resíduos pegajosos, alcatrão e resíduos de estrada, permitindo que sejam limpos da superfície com um pano de microfibras limpo. Após uma lavagem para neutralizar os solventes, segue-se a utilização de uma Clay Bar e Glide Clay Lube em todo o veículo para remover contaminantes aderentes, tais como depósitos de proteínas de insectos, excrementos de aves e depósitos minerais de água e seiva de árvores. Este processo é vital porque este tipo de contaminação aderente pode acumular-se em superfícies desprotegidas ao longo do tempo, e mesmo as partículas mais pequenas podem corroer lentamente a pintura ou interferir com o polimento. De facto, após a aplicação da clay bar, é possível sentir a diferença, pelo que é crucial assegurar que todas as superfícies a polir foram descontaminadas com a clay bar. A única diferença real no processo que notará aqui é que, por se tratar de um veículo tão grande, secámos tudo cuidadosamente antes de realizar a fase de clay bar. Isto é simplesmente para evitar que a água de enxaguamento seque enquanto estamos a trabalhar noutro local.
 
A água normal da torneira, a que provavelmente utiliza para lavar o seu carro, não é pura, é de facto uma solução que contém todo o tipo de depósitos. Estas impurezas ficam nas superfícies se a parte da água da solução se evaporar naturalmente. O calcário e outros depósitos minerais deixados nas superfícies são a causa das marcas de água e, nalguns casos, precisam de ser polidos para serem removidos. É por esta razão que utilizamos sempre uma toalha de secagem específica – como a nossa Aqua Deluxe, Aqua Deluxe XL ou a Silk Drying Towel – para absorver fisicamente a água e os depósitos em conjunto, para evitar que algo fique para trás nas superfícies exteriores. É também a razão pela qual é vital secar o seu automóvel, ou qualquer outro veículo, após cada lavagem, independentemente de estar a planear efectuar outras fases de detalhe.
 
De qualquer forma, como dissemos, realizámos a fase de clay bar após a secagem e, para ser honesto, também pode fazer o trabalho desta forma quando descontaminar um automóvel. Muitos profissionais preferem fazê-lo desta forma.

Polimento

 
Quando se tratou do polimento com máquina ou, mais especificamente, da parte de aperfeiçoamento dos detalhes, podemos ter tido uma equipa inteira a trabalhar nisso, mas pode fazê-lo você mesmo, só que vai demorar um pouco, ou muito, mais tempo. No entanto, o mais importante aqui é que variámos os produtos utilizados para secções específicas da pintura. Por outras palavras, trata-se de testar e descobrir qual a combinação de abrasivo e pad de polimento que funciona para obter o resultado desejado.
 
A diferença entre um automóvel e um camião é que, de um modo geral, os automóveis têm um acabamento mais uniforme. Embora possa haver um pára-choques ou um spoiler de plástico diferente, na maior parte dos casos, está a polir painéis metálicos que têm o mesmo acabamento de pintura e que sofrem frequentemente dos mesmos defeitos de lavagem. No entanto, os camiões têm outras áreas que podem ter um acabamento diferente e podem ser fabricados com materiais diferentes que reagem de forma ligeiramente diferente ao calor durante o polimento. Há também muito mais áreas complexas com que se preocupar. É importante ter isto em conta e testar cada área ao procurar os produtos correctos a utilizar. Afinal de contas, os camiões são concebidos para transportar cargas pesadas e não para serem carros de exposição.
 
Como dissemos, também é raro que um veículo pesado de mercadorias tenha um revestimento transparente, por isso não se surpreenda se vir um pouco de transferência de pigmentos no seu disco de polimento.
Obviamente, tivemos todo o arsenal da Auto Finesse à nossa disposição aqui, com muitas Revitalise Pads e Revitalise Spot Pads para escolher, por isso somos os primeiros a admitir que somos sempre um pouco mimados com as nossas Máquinas de Dupla Acção DPX e MPX. Também temos a nossa colecção de Revitalise System Compounds grossos (restauro), médios (polimento) e finos (refinamento), alguns novos compostos da Pro-Series, e o nosso avançado composto One Step All-in-One que utiliza abrasivos especiais de diminuição para começar como um composto de corte grosso e terminar quase sem falhas, decompondo-se num composto de acabamento fino à medida que trabalha.
 
A questão é que todos estes produtos têm vários graus e características para tratar das fases de corte e de acabamento necessárias para obter o resultado desejado. Também não contêm ceras ou cargas, por isso, embora possam ser utilizados com uma camada de cera ou selante para a protecção final, também oferecem o verdadeiro acabamento essencial para a aplicação de um revestimento cerâmico à base de Si02, como o que encontrará no nosso Caramics Paintwork Protection Kit com duração até 12 meses. Os revestimentos cerâmicos aderem quimicamente, o que significa que não devem ser deixadas ceras ou cargas na superfície para atrapalhar este processo.

Neste caso também – simplesmente porque vamos utilizar produtos à base de cera para protecção mais tarde – também podemos utilizar o nosso Tripple All-in-One Polish para melhorar, um produto que limpa, lustra e protege num só, utilizando abrasivos leves e solventes de limpeza profunda, e deixando para trás uma camada de Cera de Carnaúba Brasileira. O Tripple decompõe-se facilmente, pelo que, embora possa ser utilizado na máquina de polir, também é ideal para polir à mão – bastante útil em qualquer veículo, especialmente num como este, com muitas áreas complexas de acesso limitado, como os painéis interiores e os depósitos de combustível.

Portanto, a grande questão é: qual é a melhor combinação de produto e pad a utilizar para melhorar a pintura de um veículo pesado de mercadorias? A resposta é simplesmente aquela que funciona melhor em cada área específica. É exactamente aí que entra o seu teste.
 
A ideia de qualquer polimento é nivelar a superfície para eliminar os defeitos ou, mais especificamente, remover toda a superfície à volta do defeito até atingir o fundo do defeito mais profundo. O truque é utilizar um abrasivo suficientemente pesado para eliminar os riscos ou swirls, ou restaurar a pintura, mas sem utilizar um que seja tão abrasivo que dê ainda mais trabalho. Quanto mais leve for o abrasivo, menos trabalho dá e menos fases são necessárias para refinar completamente o acabamento… desde que a superfície fique livre de defeitos. Um caso simples de “apenas o suficiente” para fazer o trabalho. Assim, quando estiver a testar, comece com o composto mais leve e aumente-o se não houver corte suficiente. E lembre-se de que, embora uma área possa necessitar de uma combinação para este trabalho específico, não será necessariamente exactamente a mesma que poderá ter de utilizar no seu automóvel ou em qualquer outro trabalho. No Detalhe, cada tarefa é específica – essa é a arte!
Também vale a pena notar que a pintura não é a única área que necessitava de polimento no nosso Volvo, há uma grande quantidade de metal nu – incluindo as enormes protecções traseiras do chassis e as seis rodas – que também necessitavam de atenção.
 
O Mercury Metal Polish é o nosso produto de eleição neste caso, é seguro para utilização em todas as superfícies metálicas nuas e utiliza abrasivos avançados para remover sem esforço a oxidação, defeitos ligeiros e manchas. De fácil decomposição, mais uma vez este produto é adequado para ser utilizado com uma máquina de polir, mas também é óptimo para polir à mão as áreas mais complexas. As áreas de metal nu deste veículo pesado de mercadorias são, no mínimo, complexas!
 
O Mercury é um produto potente, não há dúvida, mas também temos o Mercury Xtreme Metal Polish, um produto básico da gama que utiliza abrasivos ligeiramente mais pesados, capazes de lidar com a sujidade.

Protecção

Depois de a pintura ter sido corrigida e melhorada, tal como qualquer outro detalhe, era essencial adicionar uma protecção adequada. Este processo não só protege o seu trabalho, criando uma barreira contra os elementos, como também confere brilho às superfícies, permitindo que a luz regresse aos seus olhos de forma mais uniforme, o que dá a impressão de maior profundidade e brilho.
 
Agora, para os condutores diários e veículos de trabalho mais exigentes como este, normalmente optaríamos por um revestimento cerâmico, uma vez que este proporciona a protecção mais resistente e duradoura e propriedades de limpeza fáceis. Neste caso, no entanto, o que pretendemos é obter o máximo de aparência, uma vez que o veículo pesado de mercadorias estava programado para participar numa grande exposição de camiões após o melhoramento. Apenas mais um exemplo de como os processos de detalhe podem ser adaptados a trabalhos específicos.
 
De qualquer modo, isto explica a razão pela qual utilizamos uma cera ou, mais especificamente, duas camadas da nossa cera Illusion Show Wax para adicionar a nossa protecção aos painéis exteriores pintados. Isto, de certa forma, começa a fazer a distinção entre o camião pronto para a estrada e o espectáculo pronto para a exposição.
 
As ceras nivelam o acabamento óptico das superfícies exteriores da mesma forma que os revestimentos cerâmicos ou selantes – suavizam quaisquer falhas e reentrâncias microscópicas, para criar uma superfície nivelada que é mais adequada para uma reflexão uniforme da luz. A diferença de uma cera natural, em vez de uma camada feita pelo homem que será perfeitamente clara, é que contém certas impurezas naturais que absorvem e refractam a luz – é isto que lhes dá o seu brilho quente característico. É também uma das razões pelas quais acreditamos sinceramente que, em termos de aparência, a cera é imbatível. Illusion oferece também uma protecção resistente até 3 meses.

Para outras áreas pintadas, especialmente as do interior das portas, os painéis aerodinâmicos laterais e outras áreas um pouco mais difíceis, basta uma rápida pulverização da nossa Cera em Spray Glisten e uma limpeza para obter um brilho intenso e até 4 semanas de protecção. O Glisten pode até ser utilizado em plásticos brilhantes e, no nosso caso, nos vários painéis de metal polido e nos degraus. Uma forma rápida, fácil e eficaz não só de adicionar protecção de cera, mas também de a completar em todos os detalhes de manutenção.

Protecção das Jantes

Para além da pintura exterior, já mencionámos a susceptibilidade destas rodas metálicas relativamente sensíveis ao pó que sai dos travões enormes. Tendo isto em mente, faz sentido que estas também precisem de muita protecção.
 
Seguindo o tema da cera super brilhante, escolhemos a cera para jantes Mint Rims Wheel Wax, uma cera diferente que desenvolvemos especificamente para todos os tipos de jantes de veículos. Em vez de conter ceras naturais, este produto é composto por ceras sintéticas concebidas para resistir a temperaturas extremas. Por isso, embora este produto seja tão fácil de aplicar como uma cera dura normal e ofereça um acabamento de alto brilho, foi especificamente concebido para resistir ao máximo abuso. De facto, uma vez que a Mint Rims é tão eficaz a impedir a aderência do pó dos travões corrosivo, também torna as jantes muito fáceis de limpar durante a manutenção de rotina. Também dura até 3 meses antes de ser necessária uma nova aplicação.

Detalhe do interior

Pode não ter visto no vídeo, mas é claro que também detalhámos o interior – quanto mais não seja para o tornar um local muito mais agradável para o condutor passar o tempo. No entanto, quando se trata de guias, é simplesmente uma daquelas áreas que não difere muito do detalhe de um carro. Utilizando uma combinação de Total Interior Cleaner e uma escova de limpeza firme adequada, uma escova FeatherTip ou uma escova para estofos para cada área separada, como os bancos, os plásticos dos tapetes ou a alcatifa.
 
Dito isto, há uma pequena – ou talvez não tão pequena – coisa a ter em conta, que é o facto de os pára-brisas enormes significarem uma grande exposição aos raios UV e o potencial para o plástico desvanecer e rachar. É por isso que fazemos uma menção especial ao nosso Spritz Interior Quick Detailer, que não só limpa, como também contém uma grande quantidade de inibidores de UV e agentes anti-estáticos que combatem os efeitos de envelhecimento do sol e também ajudam a impedir a acumulação de pó e sujidade no futuro. Uma rápida pulverização e uma passagem de um pano em todos os plásticos do interior ajuda muito a mantê-los como novos durante mais tempo.

Acabamento

And onto the final stages, which like any other detail, wholly depend on the vehicle in question. In our case, the first task was using a combination of Revive Trim Dressing and Dressle All Purpose Dressing to quickly bring any faded plastics (namely the rear wheel guards and the front spoiler) back to life. Both of these finishing products are amazing for different portions of your vehicle, and will add a little UV protection, too.
 
Of course, all this was before moving onto one of the biggest, but most vital, finishing touches we’ve ever undertaken on any detail…
Estamos a falar, claro, dos pneus – já mencionámos que são absolutamente enormes? Ah, e que são seis? De qualquer forma, limpámo-los bem antes, oferecendo a superfície perfeita para a colagem de um revestimento adequado, por isso, negligenciar as laterais agora seria um grande erro no detalhe.
 
Mas isso nunca iria acontecer, pois não? Rapidamente, ficámos com eles super brilhantes e tratados na perfeição com algumas pulverizações do nosso Gloss Tyre Dressing. Este produto em spray, à base de silicone, é ideal para uma cobertura rápida de pneus grandes e, tal como o nome sugere, deixa um acabamento super brilhante, tipo “show car”. Afinal, este Volvo iria em breve para o recinto de exposições. Por isso, neste caso, foi a escolha perfeita… é uma espécie de bónus o facto de o Gloss também oferecer uma barreira excelente e duradoura contra os elementos.
Agora, faltam apenas algumas fases de acabamento super-rápidas, sendo a primeira uma necessidade absoluta em qualquer pormenor – Crystal Glass Cleaner. Não há nada pior do que um vidro manchado e com riscos a estragar um detalhe imaculado, não é? Além disso, até os espelhos deste monstro são do tamanho do vidro de um carro normal… e o pára-brisas é como uma parede de dois metros!
 
Mas, não importa, esta mistura à base de solvente faz um trabalho ligeiro com o pó, as impressões digitais e quaisquer outros resíduos pegajosos, e utilizamos este produto em todos os detalhes, mesmo após as lavagens de manutenção, para proporcionar uma clareza cristalina a todos os vidros e espelhos do veículo, por dentro e por fora. O Crystal também faz um trabalho fantástico ao preencher e ocultar riscos ligeiros, o que o torna um dos melhores essenciais de sempre para qualquer trabalho, em qualquer lugar.

A última fase foi, como dizemos sempre, “terminar com o Finale”. Tal como acontece com qualquer trabalho de detalhe ou de manutenção, uma limpeza rápida no final pode fazer toda a diferença entre um bom acabamento e um acabamento verdadeiramente fantástico. Uma passagem por todas as superfícies com o nosso Finale Quick Detailer com infusão de carnaúba foi tudo o que foi necessário para remover qualquer poeira e impressões digitais perdidas antes de os rapazes voltarem para ir buscar o equipamento… não deixar nada para trás, mas um pouco de protecção extra e um brilho quente de carnaúba é algo de especial!

E, pensamos que concordará, tudo acabou muito bem… este enorme Volvo Wagon estava certamente pronto para dominar a exposição de camiões do fim-de-semana, antes de voltar ao trabalho, totalmente protegido e com um aspecto fresco, percorrendo toda a Europa.

Deixe um comentário

Options